11 de out de 2015

Automação Residencial cria valor para o produto imobiliário

(Fonte: artigo traduzido do site www.cea.org - publicado em junho de 2015)

Muitos de nós nos lembramos da busca de nossa primeira casa acompanhados de um corretor de imóveis. Talvez a bancada de granito ou a vista do terreno tenha sido a característica que nos convenceu que aquela seria a nossa casa de sonho. Mas hoje as coisas mudaram. A tecnologia está ligando casas e isto está começando a fazer a diferença na forma como elas são compradas e vendidas.

A indústria de eletrônicos de consumo está cumprindo a promessa da casa inteligente com produtos mais fáceis de usar, além de sistemas e serviços para ajudar os consumidores a gerir as suas casas, muitas vezes a partir de seus smartphones. Conectado à Internet através de uma rede doméstica para acesso remoto, monitoramento e controle, estes aparelhos trazem aos seus proprietários conveniência, segurança, acessibilidade, entretenimento e eficiência.

A Coldwell Banker recentemente organizou um painel com executivos da CNET, os membros da CEA como  LG, Lutron e Sengled bem como Nest e Tesla numa conferência de tendências denominada Gathering of Eagles para discutir as últimas inovações em casa inteligente. As empresas falaram sobre os benefícios e desafios de se conectar dispositivos domésticos à Internet e uns aos outros.

Ben Bixby, da Nest, disse: "Nós continuamos a oferecer atualizações de software para adicionar inteligência aos dispositivos que já estão em suas paredes. É para onde estamos indo. - A casa mais inteligente, mais consciente que aprende e sincroniza-se com você "

É evidente que o mercado está crescendo. Um estudo da CEA e Parks Associates sobre a Internet das Coisas prevê  que o mercado de termostatos inteligentes, fechaduras, detectores de fumaça e interruptores de luz vai expandir de 20,7 milhões de unidades em 2014 para 35,9 milhões de unidades em 2017.

John Taylor da LG acrescentou: "Uma das novas tecnologias que estamos introduzindo é chamado Home Chat. Nós gostamos de pensar nisso como um assistente pessoal digital que permite que você realmente converse com seus aparelhos. "

Segundo Coldwell Banker, num levantamento com  500 associados de vendas, mais de 61 % dos agentes concordaram que eles estão vendo mais compradores interessados ​​em controlar sua tecnologia de casa através do seu smartphone ou tablet do que há dois a cinco anos atrás.

Assim, empresas de eletrônicos domésticos  têm agora a oportunidade de alinhar suas marcas com uma equipe de corretores de imóveis treinados que entendem o poder da tecnologia. E quando os corretores de imóveis podem facilmente explicar aos seus clientes como os produtos da casa inteligente são um novo benefício,e a casa pode ser vendida mais rapidamente ou com um preço mais elevado, trata-se de uma vitória para todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Envie seu comentário