A demanda por produtos para casa inteligente continua a crescer, apesar das preocupações com privacidade e segurança

 Traduzido do site https://www.fierceelectronics.com/

Espera-se que as compras de uma ampla gama de dispositivos domésticos inteligentes aumentem 12% ao ano até 2025, de acordo com o IDC, mas as preocupações com segurança e privacidade ainda estão impedindo algumas pessoas de aderir a esta tendencia.

“As preocupações com segurança e privacidade são uma das principais respostas quando perguntamos por que os consumidores não estão comprando ou usando dispositivos domésticos inteligentes de forma ampla”, disse Adam Wright, analista sênior de pesquisa para tecnologia de casa inteligente na IDC.

“Uma grande parte deles diz que ainda está pelo menos um pouco preocupada com a segurança e privacidade de seus dispositivos”, acrescentou ele por e-mail à Fierce Electronics. “Descobrimos que, na maioria dos casos, tais preocupações são prontamente deixadas de lado em favor dos benefícios ... principalmente da conveniência.” Outros benefícios incluem maior proteção e segurança, entretenimento e reduções nos custos domésticos e no consumo de energia.

“Por um lado, muitos consumidores ainda estão evitando a casa inteligente por causa de questões de privacidade, mas isso não é suficiente para ter um efeito negativo líquido sobre o amplo crescimento do mercado”, disse Wright.

“Mesmo que histórias sobre campainhas de vídeo e personagens nefastos hackeando câmeras estejam sempre no ciclo das notícias, os consumidores ainda estão comprando esses dispositivos”, disse ele.

O analista da IDC, Jitesh Urbrani, também disse à Fierce Electronics que as preocupações de privacidade que a IDC ouve são principalmente sobre dados sendo compartilhados com terceiros originados dos dispositivos domésticos inteligentes. “Não sabemos necessariamente se essas preocupações estão relacionadas ao reconhecimento facial, perfil racial, questões policiais ou qualquer outra coisa, embora tenha certeza de que cada um desempenha um papel”, disse ele.

Alguns críticos de dispositivos domésticos inteligentes disseram que geralmente é bom ter a tecnologia, mas não uma necessidade. “Para algumas categorias, como luzes ou alto-falantes, isso pode ser verdade”, disse Ubrani. “Mas para coisas como termostatos, vai além de um valor de luxo ou entretenimento e pode haver economia de energia real.”

Muitos produtos domésticos inteligentes, como termostatos, têm ciclos de substituição muito longos, o que limita o crescimento do mercado, acrescentou Ubrani. No entanto, ele disse, "a penetração global desses produtos nos lares ainda é bastante baixa e, portanto, há muito potencial".

O IDC informou que as remessas de todos os equipamentos de monitoramento e segurança domésticos, juntamente com entretenimento de vídeo e alto-falantes inteligentes, devem aumentar para 1,4 bilhão de dispositivos em 2025, ante 801 milhões em 2020.

Monitoramento e segurança residencial é a segunda maior categoria até agora, compreendendo cerca de 20% do total e crescerá 13% ao ano até 2025, acrescentou o IDC.

A maior categoria é o entretenimento de vídeo, cerca de 37% do total, com alto-falantes inteligentes em terceiro lugar, com 16%.

O crescimento do mercado pode ser inibido com as preocupações contínuas sobre segurança e privacidade, que foram agudas a partir de 2019, com a preocupação de que as câmeras pudessem espionar os proprietários ou ser usadas indevidamente pela polícia para fins de discriminação em certos bairros.

O IDC observou que os dispositivos domésticos inteligentes permaneceram relativamente resistentes durante 2020, apesar da pandemia, e mostraram um crescimento ano após ano em todas as categorias de dispositivos. De todas as categorias, espera-se que o crescimento diminua para alto-falantes e monitores inteligentes nos próximos anos, à medida que a base instalada atinge a maturação.

Nos próximos anos, os EUA vão dominar o mercado, com a China em segundo lugar. No entanto, espera-se que a China ultrapasse os EUA até o final de 2024, disse o IDC. O mercado global até agora é dominado pela Amazon e pelo Google, dono da antiga marca Nest, agora chamada Google Nest.

Construtores passam a incluir tecnologias de "casas inteligentes" em seus empreendimentos

A Parks Associates, uma importante empresa de pesquisas de mercado nos EUA está desenvolvendo um novo estudo que propõe uma análise abrangente e profunda das últimas perspectivas de gestores e desenvolvedores de tecnologia imobiliária sobre produtos inteligentes.

No setor dos empreendimentos multifamiliares (mercado norte americano), a adoção da tecnologias de casa inteligente está se acelerando à medida que desenvolvedores e proprietários são persuadidos por dois aspectos importantes de negócios: eficiências operacionais e aumento da receita de locação impulsionado por melhor aquisição e retenção de inquilinos.

A constatação a seguir foi fundamental para embasar este novo estudo:

Em 2020, 65% dos construtores de empreendimentos residenciais multiuso reportaram que seu modelo de negocio adotou tecnologias de casas inteligentes para diferenciar seus empreendimentos

Os setores que serão analisados neste estudo representam aqueles que mais se destacam neste momento:

• Sistemas de gestão predial
• Controle de acesso
• Segurança patrimonial 
• Serviços de banda larga 
• Gerenciamento inteligente de redes WiFi 
• Gerenciamento da água 
• Valorização dos produtos e soluções para casa inteligente para locatários 

Mais informações estão disponiveis em http://www.parksassociates.com/services/mdu-2021 

AURESIDE: 21 anos de atuação no Brasil

A AURESIDE neste mes de fevereiro de 2021 comemora vinte e um anos de atuação pioneira no Brasil no mercado de Automação Residencial! Para registrar este evento, foi preparado um descritivo que reúne detalhes de seus principais projetos neste periodo, o que compreende desde treinamentos e eventos, até programas inovadores com objetivos específicos.


Um artigo especial sobre esta trajetória pode ser visto neste link

E um video especialmente criado para esta ocasião demonstra uma linha do tempo dos principais produtos e soluções utilizados na Automação Residencial neste período, Trata-se de uma curiosidade e um registro inédito que estamos compartilhando com todos vocês!

Clique na imagem abaixo para assistir!



Tendências | Assistentes de voz impulsionam outros dispositivos inteligentes nas residências

 (Fonte: www.tudoradio.com)

Segundo um relatório recentemente lançado pela Voicebot, as caixas de som inteligentes, mais conhecidas por smart speakers, estão contribuindo para alimentar a revolução geral da casa inteligente. O levantamento é relacionado ao mercado dos Estados Unidos e mostra como essas caixas de som estão impulsionando a presença de outros dispositivos conectados

O relatório recém-lançado da organização de pesquisa global Voicebot mostrou que as caixas de som inteligentes se tornaram um catalisador para mais vendas de dispositivos domésticos inteligentes, como termostatos, iluminação, segurança doméstica, campainhas de vídeo e fechaduras inteligentes. As smart speakers têm ajudado a alimentar a revolução geral da casa inteligente.

A Voicebot observa que os padrões de adoção de dispositivos domésticos inteligentes e caixas de som inteligentes são distintos, mas complementares. "Os dispositivos domésticos inteligentes são anteriores as smart speakers, mas está claro que a categoria recebeu um impulso com a introdução de recursos interativos de voz em casa". Em 2017, muitos no mundo da tecnologia lamentaram que "a adoção de uma casa inteligente foi de apenas 16,3%, apesar de muitos anos de exagero".

Hoje, no entanto, o Gartner prevê que cerca de 50% dos lares dos EUA terão um dispositivo doméstico inteligente até 2021 - o que Voicebot acredita que se tornará realidade. Este último descobriu em sua pesquisa que 48,5% dos adultos nos EUA têm um dispositivo doméstico inteligente que não seja uma smart speaker, enquanto mais de 55% dos adultos nos EUA têm caixas de som inteligentes ou pelo menos um dispositivo doméstico inteligente."

As smart-speakers têm conquistado cada vez mais usuários e também seguem sendo utilizadas para diversas finalidades, tanto que rádios do Reino Unido já estão veiculando anúncios interativos através de seus streamings de áudio. O sistema, que está disponível na caixa de som inteligente Amazon Alexa, permite a interação entre o ouvinte e a marca anunciante, podendo perguntar por mais informações sobre o produto anunciado, entre outras possibilidades.

Assim como nos Estados Unidos e demais países, no Brasil as caixas de som inteligentes já aparecem como um dispositivo usado para consumo de streaming de rádio. A constatação feita por empresas de tecnologia que prestam serviços digitais à diferentes emissoras brasileiras mostrou que empresas de tecnologia apontam consumo de rádio na internet através de dispositivos como a Alexa (Amazon).

Além das smart speakers, a venda de fones de ouvido também esteve em alta neste ano de 2020. De acordo com um levantamento da Futuresource Consulting, esse tipo de dispositivo teve um avanço anual de 19% nas vendas, sendo um volume que considera o mercado global. O avanço dos dispositivos atestam novamente o crescimento no consumo de áudio.