Talk Imóveis - Como deixar a sua casa inteligente

A live "Talk Imóveis" realizada em 16 de junho de 2021, organizada pela A Gazeta de Vitória (ES) teve a participação da AURESIDE e tratou de temas ligados à evolução do mercado de "casas inteligentes". Além do diretor executivo da AURESIDE, José Roberto Muratori, contou também com a participação do presidente do Sinduscon-ES , Luiz Claudio Mazzini Gomes e do especialista em segurança da informação e comentarista da CBN, Gustavo Sudré.

A moderadora do debate foi Lara Rosado, editora adjunta de Imóveis da Gazeta. Durante 1 hora os debatedores apresentaram as tendencias, novidades e também as precauções que um morador deve conhecer ao buscar transformar o dia a dia da sua casa, utilizando as novas tecnologias disponíveis no universo da Automação Residencial.

A gravação integral da live está disponivel neste link.

Segurança doméstica inteligente deve crescer 40%, atingir US $ 21,2 bilhões em receita até 2023

Fonte: https://www.techdigest.tv/

Casas inteligentes com recursos de segurança proporcionam tranquilidade a seus proprietários, sabendo que se um problema potencial for detectado, eles serão imediatamente notificados e poderão assumir o controle total para minimizar os danos.

E embora a Covid-19 tenha influenciado o mercado global de segurança residencial inteligente, as receitas de todo o setor continuaram crescendo substancialmente. 

De acordo com dados apresentados pela BuyShares.co.uk, espera-se que os sistemas de segurança residencial inteligente alcancem US $ 15,1 bilhões em receita em 2021, um salto de 27,4% em um ano. A tendência de aumento deve continuar nos próximos anos, com as receitas aumentando em 40% para US $ 21,2 bilhões em 2023. 

O mercado de segurança de casa inteligente inclui a venda de sensores de movimento, fechaduras de portas, câmeras de segurança, serviços de vigilância conectados a uma casa inteligente mais ampla, sensores de água ou fumaça e dispositivos conectados digitalmente para prevenção contra roubo ou outras questões de segurança. 

Como outros dispositivos inteligentes, essas soluções vêm com aplicativos móveis para acesso remoto e informações sobre o status do dispositivo. Além disso, muitos deles podem ser configurados sem conhecimento especial, tornando esses produtos interessantes para um público mais amplo que procura soluções de segurança acessíveis e fáceis de usar. 

Mesmo antes da pandemia, as receitas do mercado global de segurança residencial inteligente cresceram em um ritmo constante, passando de US $ 5,7 bilhões em 2017 para quase US $ 10 bilhões em 2019, revelou a pesquisa Statista. No ano passado, esse número subiu para US $ 11,9 bilhões, apesar dos efeitos da pandemia Covid-19. As estatísticas mostram que a receita global de sistemas de segurança residencial inteligente deve crescer US $ 3,2 bilhões em 2021. No entanto, os anos seguintes devem testemunhar um crescimento ainda mais impressionante, com receitas aumentando em mais US $ 6,1 bilhões até 2023. Em 2025, todo o mercado está projetado para atingir o valor de US $ 27,3 bilhões. 

A pesquisa Statista também confirmou que as câmeras de segurança são o produto individual mais comprado no segmento de segurança, com uma taxa de penetração do produto de 2,6% em 2021. Em 2023, esse número deve aumentar para 4,3%. Os bloqueios inteligentes ficaram em segundo lugar, com uma taxa de penetração de 1,9% este ano. Os detectores de fumaça seguem com 1,6%, respectivamente.

Mercado dos EUA lidera em receita 

Os Estados Unidos representam o maior mercado de segurança residencial inteligente do mundo, com mais de US $ 5 bilhões em receita e 22,7 milhões de casas inteligentes em 2021. Em 2023, as receitas dos EUA devem saltar para US $ 6,5 bilhões, ou um terço das receitas globais de segurança residencial inteligente ao ano. 

A Europa vem em segundo lugar, atrás dos EUA, com mais de US $ 3 bilhões em receita e 19,6 milhões de famílias em 2021. O mercado europeu deve crescer 17,1% ao ano e atingir um valor de US $ 4,2 bilhões nos próximos dois anos. 

A menor região nessa comparação é a China, com uma receita de US $ 2,8 bilhões em 2021. No entanto, o país deve testemunhar o crescimento de receita mais significativo, quase 20,9% ao ano. Em 2023, o mercado chinês deve atingir o valor de US $ 4,1 bilhões.

Mercado global de entretenimento cresce durante a pandemia

O mercado global de entretenimento registrou um crescimento anual de 23% em 2020 comparativamente ao ano de 2019, em plena pandemia, praticamente devido aos meios digitais (streaming). O número absoluto de assinaturas dos serviços digitais atingiu 1,1 bilhão, um crescimento de 26% em relação a 2019.

Os numeros mais detalhados podem ser visualizados no gráfico abaixo


Os serviços de streaming (como Netflix, Disney+, Amazon Prime Video e outros) cresceram 26% no periodo enquanto a assinaturas de TV a cabo regrediram 2% em relação a 2019, como pode ser observado no diagrama abaixo:



A seguir o numero de assinantes (mundialmente) dos principais serviços de streaming (fonte: Revista Super Interessante)


Estes dados estão contidos no estudo THEME REPORT divulgado pela "Motion Picture Association"



Novas tecnologias: a demanda crescente por serviços qualificados

 


Artigo publicado na edição 300 da revista Home Theater & Casa Digital

Nos últimos tempos tem sido comum encontrarmos na mídia notícias de que existe uma carência muito grande de pessoal habilitado para trabalhar com atividades que envolvem tecnologia. Ou seja, de um lado o desemprego ainda não dá mostras de ser equacionado no nível macroeconômico, no entanto nas áreas mais diretamente ligadas à tecnologia existe uma enorme demanda não atendida.

São citadas diversas atividades, principalmente envolvidas com a TI (tecnologia da informação) cybersegurança, inteligência artificial, desenvolvimento de aplicativos e muitas outras. Os motivos vão desde a ausência de vagas em escolas técnicas e evasão escolar até a dificuldade e demora na atualização dos currículos devido à velocidade da introdução das novas tecnologias. A maioria dos cursos de capacitação exigem aulas práticas e oficinas, portanto montagem de laboratórios e similares, cujo investimento pode ser um obstáculo.

Se esta realidade se mostra em diversas áreas, não poderia ser diferente no setor de automação residencial e predial. Acompanhamos o dia a dia de empresários e profissionais da área e percebemos que esta dificuldade também está afetando seus negócios. A maioria dos prestadores de serviços desta área, os denominados integradores, são microempresários que iniciam suas atividades buscando a sua capacitação individual e com esta qualificação desenvolvem seus primeiros projetos a contento. No entanto, no passo seguinte, quando precisam atender uma demanda maior e sentem a necessidade de contarem com colaboradores ou parceiros para delegarem algumas atividades, começam a surgir grandes dificuldades. E, neste caso, muitas vezes são obrigados a declinarem de novos projetos pela absoluta falta de mão de obra qualificada para atendê-los.

Fizemos um levantamento da demanda estimada por sistemas de automação residencial (baseados em pesquisas recentes) versus a disponibilidade de empresas para atender esta demanda. E chegamos em números muito significativos. Uma das constatações é que existe uma demanda prevista em 2021 de até 2,5 milhões de potenciais “casas inteligentes”. O numero atual de empresas com capacidade para atender este mercado está situado entre 2 e 3 mil. Portanto, se levarmos em conta estes dados, cada empresa teria cerca de 1 mil projetos para atender por ano! Este numero é muito superior a qualquer realidade atual, por mais simples que possam ser estes projetos...


Ou seja, corremos o risco de perder potenciais vendas (e de termos clientes frustrados) simplesmente pela falta de capacidade de atendimento da demanda espontânea que está despontando...

Quando falamos de “casas inteligentes” estamos envolvendo basicamente seis áreas distintas, todas elas que envolvem tecnologias recentes e cuja tendencia ainda é de forte crescimento nos próximos anos, a saber: segurança, controle e conectividade, entretenimento, conforto / iluminação, eletrodomésticos inteligentes e eficiência energética. Ou seja, se não tomarmos medidas urgentes, o panorama da falta de mão de obra qualificada pode comprometer que estas tendencias positivas se concretizem.

Dentro deste horizonte, a AURESIDE tem investido fortemente em capacitação e certificação de profissionais, com diversos cursos e desenvolvimento de material técnico e didático. Contamos também com a participação ativa e colaboração das nossas empresas associadas (fabricantes e distribuidores) que têm intensificado seus esforços na formação dos profissionais que atuam como integradores, revendas ou instaladores.

Mais detalhes destas iniciativas podem ser conhecidos em www.institutodaautomacao.com.br